quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Produto feril

Ai, ai. Estou meio assim, leve. E assim mesmo, diferentemente dos textos anteriores, escritos mais por função catártica (ensino médio-on), resolvi nessa madrugada de quarta pra quinta, depois de conseguir conectar meu computador a internet, de ver o orkut, yahoo, baixar o cd dos Pullovers e conversar com a Letícia pelo msn, começar este textinho.
As férias começaram na sexta. Está sendo bem produtiva, por sinal. Teve casa do Pedro, Happy Hour, filhos-da-prima-da-mamãe, cama até meio-dia, visita à nova Rodoviária, Karate-Kid, pizza, Concreta, e por algum motivo a própria FAU. Maldito lugarzinho amado.
Montei meus horários dos próximos 4 semestres pra ver se dava pra pegar Cálculo nesse. Acho que dá.
Recomecei a ler A Estética do Oprimido, do Boal. É um bom livro, só que ainda estou com aquela preguicinha inicial de férias, não embalei ainda.
Sábado viajo pra ver vovô e vovó.
Ah, terminei A Cura de Schopenhauer depois de dois mil anos(desculpa Glória!hauhauhu)

E assim mesmo, da mesma forma que comecei, fútil e efêmero, vou terminar esse textinho. Marcando um dia em que reconfirmei que música e conversa pelo msn de madrugada deixam qualquer problema distante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário